top of page
IMG_2033.JPG

Internação involuntária, um gesto de amor

O tratamento involuntário para dependentes químicos ou alcoolistas, faz-se necessário quando o dependente não aceita o tratamento e causa danos a si mesmo e a terceiros. O tratamento involuntário regulamentado pela Lei Nº 10.216, de 6 de Abril de 2001, ocorre mediante pedido familiar e avaliação médica.

A decisão familiar a favor do tratamento involuntário é um gesto de solidariedade e amor para com o ente acometido pela doença da dependência química ou pelo alcoolismo. Uma decisão feita em prol da vida que, quanto antes for assumida, menos danos serão causados, tanto os danos materiais, mas principalmente os danos à saúde física e psíquica do dependente ou alcoolista. Conforme o uso progride pior vai ficando o dependente químico, e mais ele se torna involuntário e inconsequente para com seus atos.

Por que Tratamento Involuntário?

A tolerância adquirida com o uso de substâncias faz com que a necessidade aumente, cada vez mais droga é necessária para se ter a mesma recompensa (prazer). Este efeito subverte as outras vontades tornando o tratamento involuntário o único caminho nos casos mais graves.

Durante esse processo, o dependente químico não mais discerne sobre o que está fazendo e tem sua capacidade de planejamento futuro e responsabilidades afetadas devido a alterações no lobo pré-frontal (vias dopaminérgicas), além de afetar a forma como emoções são percebidas, sentidas, pelos dependente químico.

Esse quadro é uma doença que muitas vezes faz a pessoa usar drogas sem parar e esse uso contínuo não permite a recuperação neurológica e cognitiva do dependente, logo o tratamento involuntário é uma opção.

Existem algumas alternativas ao tratamento involuntário que podem algumas vezes solucionar o problema do uso através de medicamentos ou terapias. Esse tratamento é conhecido como ambulatorial, mas sozinho ainda possui uma eficácia limitada aos casos de dependência leve.

Amar uma pessoa é desejar o melhor para ela o tratamento involuntário é ajudar quem precisa de ajuda e desejar o melhor. Amar não é ser complacente com uma vontade disfuncional, mas sim o resgate da vida de quem se ama. Muitas famílias venceram os receios de ir contra a vontade do dependente químico. Ao notar que não havia outra forma, buscaram ajuda para recuperar o ente querido desta doença que afeta toda dinâmica familiar.

Etapas do Tratamento Involuntário

O respeito pela vida sempre vem em primeiro lugar, portanto a remoção do paciente deve ser feita da forma mais humana possível, com uma equipe preparada para lidar com a remoção de maneira humana e profissional, minimizando os riscos envolvidos. Isso ajuda no tratamento involuntário, pois o paciente precisa ser respeitado para que o acolhimento psicológico seja bem recebido pelo paciente

Nesse momento, é preciso respeitar o paciente. É preciso que ele se sinta protegido, emocional e psicologicamente bem recebido.

Nossa equipe tem por objetivo acolher o residente com carinho e respeito dentro do centro de tratamento além de conscientizá-lo do amor, dedicação e cuidados dos familiares envolvidos no tratamento involuntário.

A partir desse momento, elaboraremos um plano terapêutico que atenda às necessidades individuais do paciente no tratamento involuntário.

Durante o tratamento, provavelmente, esse plano será revisto pois, conforme o paciente melhora, suas verdadeiras necessidades e desejos vão ficando mais claros para o paciente.

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LEIS_2001/L10216.htm

Saiba mais sobre Clínica Ressurgir

Ligue para (11) 95384-5627 / (13) 3425-7479 ou entre em contato por email.

Leia em www.clinicaressurgir.com.br/tratamento-involuntario.php

Leia também sobre: tratamento involuntário de dependência químicatratamento involuntário para alcoólatratratamento involuntário para dependentes químicostratamento para dependentes químicostratamento para pacientes involuntários.

Tratamento Involuntário: Texto
bottom of page